Caipira ou Kopira…

O tupi (tupi antigo) é a língua indígena clássica do Brasil, a que mais importância teve na construção espiritual e cultural de nosso país, a velha língua brasílica dos primeiros dois séculos do período colonial.

prof. Dr. Eduardo A. Navarro, 2007

Crescemos com a falsa percepção de que a cultura tupi é algo simplista e primitivo demais. Em 19 de abril nossas crianças desfilam com duas penas de papel na cabeça, e dois riscos de tinta na cara, e pronto.
No entanto a realidade é muito mais complexa. A língua é a primeira barreira para aprofundamento nos estudos sobre essas culturas. Como expressão do seu modo de vida as línguas nativas sofrem muitas mutações ao longo das gerações. Mas existem os troncos linguísticos, não menos numerosos. O que nós chamamos hoje de Tupi Antigo se trata de um dos dialetos mais faladas pelos povos costeiros, sendo ainda muito útil mata dentro.
Amazonas, Tocantins, Roraima e Mato Grosso do Sul tem troncos linguísticos nativos reconhecidos como oficial do estado, com ensino de algum tronco linguístico nativo no currículo escolar de algumas cidades.
Na bacia do Rio Negro, Amazonas, a língua mais falada pelos nativos é o Nheengatu. Uma derivação da língua geral do período colonial, cuja principal base são as línguas nativas. Embora com significativas diferenças, o Nheengatu e o Tupi Antigo possui similaridades tamanhas que o estudo de uma contribui para o estudo da outra.
O peso da escolha como base de estudos se deu pela minha baixa eficiência no aprendizagem de outras línguas. Logo com uma língua morta, e suas regras mais práticas e longe de grandes alterações, possibilitam uma base mais constante para o estudo. Embora o material para estudo do Nheengatu seja mais abundante que o de Tupi Antigo, ambos têm baixa produção literária e menos ainda para materiais educativos. De audiovisual, é praticamente inexistente.

No decorrer do levantamento sobre troncos linguísticos nativos do Brasil, tomei conhecimento do Dicionário Tupi Antigo: a língua indígena clássica do Brasil. O autor é o único professor universitário do Brasil de Tupi, leciona na USP. Atualmente está trabalhando em um dicionário da Língua Geral.
Além de lindamente ilustrado, o estudo do professor Navarro apresenta um profundo conhecimento sobre os costumes nativos, sendo possível perceber as intervenções europeias nestes costumes. O prefácio de Ariano Suassuna foi para mim um presente inesperado quando iniciei a leitura.
Naturalmente essa obra se tornou a principal base de estudos para questões linguísticas e consulta para outras questões.
kopira significa roçador, aquele que cuida do roçado. O lavrador. São todos caipiras, nós do interior de São Paulo e Minas, em especial. Descendentes de kopira. Somos todos tupis, nossa língua mãe é o Tupi Antigo.
Se não gostou, nem adianta ficar jururu, essa é palavra de origem tupi guarani, cujo conhecimento cosmológico é base outra base para o desenvolvimento do presente trabalho.

JM 22-6-19

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s