Santa Renda: O Capitalismo é de Esquerda!

Kapital gewonnen!
O Capitalismo venceu… Os gritos pela reabertura dos comercio em meio há pandemia do COVID-19 (24.000 mortos até 27/3) reforça a consolidação dos sistemas Capitalistas. Há tempos venho pensando sobre essa relação dos seres humanos com um pedaço de papel, o dinheiro. Erramos ao tomar o capital financeiro como política conservadora, alinhada à direita do espectro político?
Percebam, se por um lado o capital manteve as mesmas famílias donas do poder por séculos, por outro ele possibilita alguma igualdade. Como para entrar em clubes, teatros, museus, iniciar seu próprio negócio e usar roupas de qualidade. Com alguma economia qualquer um pode ser VIP, mesmo que por uma noite na vida. Mesmo a casa mais modesta possui mais conforto que um Castelo medieval. O capital gerou o trabalho assalariado que findou sistemas escravagistas. É pelo capital que os preconceitos caem, pois que mal tem se pagar bem?! Pouco importa se o dinheiro é do homem ou da mulher, se branca, parda, negra, forasteiro ou nativo.
Todos entendemos que o dinheiro é amaldiçoado, que ele corrompe e trapaceia. Mas gostamos demasiadamente da liberdade e conforto que ele proporciona. No início o Capitalismo representava a mudança da vida livre, rural, para o roteiro cronometrado da vida urbana em industrialização, hoje significa independência e liberdade de escolha. Nunca os seres humanos experimentaram tamanha liberdade. Por isso todos suportamos as mazelas que as antigas elites nos impõe, a pesar dos miseráveis salários.
No ensaio Nem esquerda, nem direita: Socialismo e Liberdade https://marquezini.com/2019/11/04/nem-esquerda-nem-direita-socialismo-e-liberdade/, defendi a ideia de que o Socialismo é o grande centrão político que tanto se gosta de afirmar, mas pouco se conceitua. Hoje as ideias Socialistas e Libertárias imploram pela Renda Básica Universal. O elo perdido do Bem-Estar Humano, intermediário do radial Capitalismo e o radical Comunismo. Sendo aprimoramento dos sistemas Capitalista com forte apelo Comunitário. Rumo às liberdades individuais, fortalecendo as instâncias coletivas e catalisando a extinção das elites.
Não lembro qual professor doutor da PUC Campinas disse, durante minha graduação em História, mas lembro bem da frase: A escravidão caiu quando os senhores entenderam que um trabalhador assalariado é mais barato que o escravo.
O escravo não é consumidor, sem consumidor não há mercado. Depois os custos das fazendas escravistas eram maiores pois havia a necessidade de mão-de-obra especializada e cara (Capitães do Mato e sua família) para vigia, punição e captura de fugitivos (dia e noite), enfermarias e curandeiros (escravo doente não rende no trabalho e nem tem valor de mercado) e é trabalhoso demais obrigar as pessoas a trabalharem contra vontade. O assalariado custava algumas moedas, e ainda subtraia o que consumia dos armazéns dos senhores. Se ficar doente, dispensa. Se negar o trabalho, dispensa. Se reclamar, dispensa. Sempre tem outro na fila dos desempregados.
O que não falta é patrão gritando que há sempre alguém disposto a assumir as trincheiras na guerra cambial e econômica. Ridículos. Esse é o mal do radicalismo do Capital, provoca escravidão velada. O chamado trabalho análogo à escravidão. Onde empregadores se acham donos dos trabalhadores por lhes pagarem um misero salario.
A Renda Básica Universal destrona os últimos Pseudo-Reis, pois ninguém mais precisaria se prostituir por valores ridículos que mal custeiam a alimentação familiar, nem se humilhar em decorrência das poucas condições de trabalho. Pois a garantia de renda, mesmo que mínima, garante a sobrevivência na sociedade do consumo e provoca a sonhada liberdade dos trabalhadores para trabalharem na área que prefere e não mais no que resta.
Com certeza, muito leitores já estão possessos, no sentido de estarem sob posse do Demônio do Capitalismo, exclamando revoltados sem razão: Isso vai acabar com o Mercado!
Primeiro que rentista nem é gente. Meu foco é o Trabalhador, pois sou um trabalhador. Assim quero mais é que o mercado se exploda. No entanto a Renda Básica Universal não destruirá o mercado, infelizmente; por um simples motivo: Muitos trabalhadores desejam também ser rentista. Quem não quer mais e mais dinheiro caindo na conta sem fazer nada?! Tenho certeza que com mais dinheiro no mês, mais o trabalhador irá investir, seja em si próprio colaborando com o comércio local, de pequenos salão de belezas a grandes Shopings Centeres, até mesmo comprando ações de multinacionais e investindo nos amigos e conhecidos com potencial de expansão dos negócios.
Nem vou comentar sobre a frase: ninguém vai querer trabalhar mais. Pois a Renda Básica Universal é BÁSICA. O bicho homem gosta de luxo. Quando mais luxo, mais caro, quanto mais caro mais longe da realidade de quem depende unicamente da Renda Básica Universal. Quem quiser luxo vai precisar trabalhar, e quando mais luxo quiser mais trabalho terá de realizar. Nenhum empregador se sentirá envergonhado por ofertar um salário baixo, quando pequeno e não poder pagar como as grandes, pois não estamos falando da renda total do trabalhador, mas sim de um complemento.
Novas formas de trabalhos e novos mercados aparecerão com o novo sistema que está em plena discussão por todo o globo terrestre. Ninguém aguenta ficar parado, veja o que está ocorrendo com o isolamento forçado pelo COVD-19. Na sociedade do consumo, ir a bares e ao cinema é contribuir com a economia, ajuda a manter e criar empregos aos que desejam trabalhar. O que acaba é a desculpa sobre trabalho porco e de má vontade. Se for para atrapalhar, fica em casa.
Quando aos custo de manutenção da Renda Básica Universal é mais complexo, pois depende da mudança sobre o entendimento de muitas coisas. Particularmente entendo que a máquina administrativa para manter sistemas de previdências e para selecionar e fiscalizar quem “merece” ou não determinadas bolsas, auxílios e benefícios, custam muito mais. Uai… se todos já ganham a Renda Básica Universal não há necessidade de Aposentadoria, ou de Auxílio Desemprego, ou de Bolsa Família e isso se estende para a Auxílio Paletó e Auxílio Moradia. Supersalários devem ser reduzidos e todo brasileiro pode se tornar automaticamente um associado rentista da Petrobras, por exemplo, como forma de incorporar essa conta e destruir verdadeiramente a renda do Brasil.
E ainda temos a possibilidade de taxar grande fortunas e heranças, afinal herança não é mérito.

JM 26-3-20 – T.I. 29-3-20

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s