Tekoeté

É o conceito Tupi Antigo do proceder verdadeiro, o esforço, nossa magnanimidade para realizar coisas árduas e perigosas

Ybyrá

Inevitavelmente a árvore, no contexto das idealizações, representatividade, simbologia e espiritualidade, está ligado ao ciclo da vida da Terra.
Cada região com suas próprias adaptações. Cada árvore se mantém como chave no processo da manutenção do ecossistema que possibilita nossa existência.
Ybyrá, árvore, como símbolo se torna perfeitamente compatível com com a visão de mundo que cativo.
Minhas raízes são famílias campesinas fugindo da recém criada Itália.

No Brasil buscaram um recomeço, sem nem imaginar que a umidade do solos é sangue Negro e Tupi. Outra parte é oriunda dos reinos hispânicos, com remanescente Tupi do Sul.
O idealismo é a folhagem e floração, diversa e incalculável, que se aventura no desconhecido para nutrir galhos, caule e raízes.
Tudo pode ser utilizado no crescimento e desenvolvimento, é a constante busca pela manutenção e melhoria da própria existência.

Kûara

Melhor que um Dia após o outro, só o Amanhã melhor que nosso Hoje.
Faz sentido, por séculos e por diversas culturas o Sol ter sido sempre o Astro Rei. A teoria se tão faz perceptível que, é mais fácil se duvidar da forma da terra, do colocar em cheque a centralidade solar de nossa galaxia.
Kûara, o Sol, nascente remete a novas ideias e superação. Ao progresso, ao avanço e ao futuro. Representa ainda a juventude, a fertilidade e força.

Também nos lembra que a vida humana é delicada. A menor variação de temperatura (considerando parâmetros cosmológicos) pode resultar na extinção de toda vida na Terra.
O equilíbrio da vida consiste na manutenção da atmosfera azul. O Azul da reação das camadas de gases nos protegendo de toda gama de radioatividade universal.
O amarelo, como fogo, é como elemental purificador. Aliado ao Azul acresce ao selo a intenção de guia e amparo na jornada da Vida.

Obytama

Melhor que um Dia após o outro, só o Amanhã melhor que nosso Hoje.
Faz sentido, por séculos e por diversas culturas, o Sol ter sido sempre o Astro Rei. A teoria se tão faz  perceptível que, é mais fácil se duvidar da forma da terra, do colocar em xeque a centralidade solar de nossa galáxia.
Kûara, o Sol, nascente. Remete a novas ideias e superação. Ao progresso, ao avanço e ao futuro. Representa ainda a juventude, a fertilidade e toda a força física.
A representação geral, circular, remete ao formato da nossa Mãe Primordial. Sypave, a Mãe dos Povos, a espírito progenitora.

Ybyrá e Kûara, juntos, passam a ser um referencial de localização intergalática. Uma vez que árvores são mais uma forma de vida exclusivamente terrestre, até onde a tecnologia humana consegue mapear.
Por diversas culturas, mesmo antes da invasão europeia, a constelação mais conhecida é a qual chamamos de Cruzeiro do Sul. Sempre como ponto de referência para longas viagens antes do GPS.
Obytama, ao pé da letra, seria Nação Azul. É a única fronteira real e uma necessidade para melhor convívio humano.

Tekoeté – Caneta hidrográfica sobre papel, 20x20cm.

JM 2019